AALC

ENÉIAS TAVARES DOS SANTOS

Publicado dia 29/05/2019 às 10h13min | Atualizado dia 01/06/2019 às 10h55min
Enéias Tavares, membro honorário da AALC

No dia 23 de abril de 2018 durante o cerimônia de inauguração da sede da AALC - ACADEMIA ALAGOANA DE LITERATURA DE CORDEL, o grande cordelista alagoano de renome nacional Enéias Tavares dos santos, foi homenageado e diplomado pela nossa entidade como membro honorário. Por estar adoentado, ele não pôde comparecer e foi representado pelo seu filho Edimir Tavares dos Santos. 

Enéias Tavares é considerado um dos maiores cordelistas brasileiros de todos os tempos, com obras clássicas reconhecidamente importantes no cenário cordeliano brasileiro.

 

Poeta Eneias Tavares dos Santos – Síntese biográfica

Eneias Tavares dos Santos (22/11/1931)

Eneias Tavares dos Santos, alagoano, nasceu em 22 de novembro de 1931 na cidade de Marechal Deodoro. De origem humilde, filho de agricultores, não obteve a sua formação primária completa, estudando já na vida adulta, música, pintura e desenho, desabrochando, assim, suas veias artísticas no universo da xilogravura e da literatura.

Quanto à xilogravura, esta, ele aprendeu sozinho, desenvolvendo vários trabalhos, como exemplo, a Via-Sacra para a Galeria de Arte de Aracaju- SE. Cabral (2014) referencia Aurélio (2010) ressaltando que entre outros poetas que se destacaram na produção da arte xilográfica, encontra-se Eneias Tavares dos Santos.

Já a literatura de cordel, adentra no cenário de sua vida em 1947, ano em que Eneias esteve na Bahia, travando conhecimento com o cordel, retornando para sua terra natal, como vendedor de folhetos (HAURÉLIO, 2011).

Na sua carreira profissional, trabalhou no Conservatório de Música de Sergipe, além de ter sido também funcionário do Museu Théo Brandão, na capital alagoana, Maceió (HAURÉLIO, 2011).

Dessa feita, percebe-se que antes de descobrir o seu talento enquanto escritor, Eneias trabalha como um semeador de folhetos, e este contato com essa fascinante forma de escrever, de se expressar, de falar ao outro, fez desabrochar a sua veia artística, que ora estava adormecida, acordando como um vulcão que surge em erupção no ano de 1953, quando escreveu o seu primeiro livro, intitulado: O cavalo Ventania, escrevendo posteriormente entre outras obras: O pai traidorO cangaceiro Isaías e A carta de Satanás a Roberto Carlos, este último foi o seu maior êxito comercial.

Seus poemas versam, sobre moralidade, animais, casos extraordinários e aberrações.

 Lamentação de um cavalo indo para o matadouro

 Neste mundo escandaloso

Quanta coisa tem se dado!

Mas o povo não se lembra

De Deus, nosso pai amado

Vive desonestamente

Sem ver que futuramente

Vai tudo ser castigado.

 

Pega o homem os animais

Vende para o matadouro

Para xarque ou mortadela

Numa falta de decoro

Por isso é que brevemente

Satanás pega essa gente

E no inferno tira o couro.

 

O homem acaba tudo

Quando a natureza cria

Acaba o gado e as aves,

— Tem até quem coma gia—

De cobra até o leão

Da baleia ao camarão…

E a fome não sacia.

 

O povo vive a deriva

Sem religião, sem nada

Por isso é que um fazendeiro

Criatura desalmada

Agora em Minas Gerais

Vendeu vários animais para uma xarqueada.

 

Na carrada ia: jumento,

Cavalo, burro e cachorro

Um zurrava, outro latia

Como quem pede socorro

— ou talvez fosse dizendo:

Pelo jeito que estou vendo

Dessa vez sei que morro.

 

Porém entre os animais

Ia um cavalo alazão

Muito velho e muito magro

Que causava compaixão

Estava sendo vendido

Porém já tinha servido

Muitos anos ao patrão.

(p.3-4)

[…]

Neste poema, percebemos fortemente a interseção de uma das temáticas abordadas por Tavares, em seus escritos, a temática animal, que ele entrelaça em um paralelo, real e ficcional, demonstrando nuances da realidade cotidiana vivida pelos animais.

FONTES CONSULTADAS

CABRAL, G. G. Relatos orais, memória e narrativa: histórias do poeta José Costa Leite 1950-1960. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 18 set. 2014.

ENEIAS Tavares dos Santos. In: O Nordeste. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso: 18 nov. 2014.

HAURÉLIO, M. Dicionário básico de autores de cordel. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 19 out. 2014.

PERFIS Biográficos. Fundação Casa Rui Barbosa. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 23 out. 2014.

 

Poeta Eneias Tavares dos Santos – Produção Literária

 

A briga de dois matutos por causa de um jumento

A morte, o enterro e o testamento de João Grilo

A mulher de quatro metros que andava de feira em feira

A recompensa do Diabo ou O castigo da falsidade

A verdadeira história de Chico Xavier

A vingança de uma fada e um anão misterioso

Carta do Satanás a Roberto Carlos

Lamentação de um cavalo indo para o matadouro

O amor de Maristela e a luta dum boiadeiro

O amor entre a verdade e o punhal

O cangaceiro Isaias

O homem que pagou a promessa enganando o santo

O prêmio da consciência

O rapaz que desejava ser cachorro

Teres e proezas de Eneias

Xilogravuras populares alagoanas

Poeta Eneias Tavares dos Santos – Síntese biográfica

Eneias Tavares dos Santos (22/11/1931)

Eneias Tavares dos Santos, alagoano, nasceu em 22 de novembro de 1931 na cidade de Marechal Deodoro. De origem humilde, filho de agricultores, não obteve a sua formação primária completa, estudando já na vida adulta, música, pintura e desenho, desabrochando, assim, suas veias artísticas no universo da xilogravura e da literatura.

Quanto à xilogravura, esta, ele aprendeu sozinho, desenvolvendo vários trabalhos, como exemplo, a Via-Sacra para a Galeria de Arte de Aracaju- SE. Cabral (2014) referencia Aurélio (2010) ressaltando que entre outros poetas que se destacaram na produção da arte xilográfica, encontra-se Eneias Tavares dos Santos.

Já a literatura de cordel, adentra no cenário de sua vida em 1947, ano em que Eneias esteve na Bahia, travando conhecimento com o cordel, retornando para sua terra natal, como vendedor de folhetos (HAURÉLIO, 2011).

Na sua carreira profissional, trabalhou no Conservatório de Música de Sergipe, além de ter sido também funcionário do Museu Théo Brandão, na capital alagoana, Maceió (HAURÉLIO, 2011).

Dessa feita, percebe-se que antes de descobrir o seu talento enquanto escritor, Eneias trabalha como um semeador de folhetos, e este contato com essa fascinante forma de escrever, de se expressar, de falar ao outro, fez desabrochar a sua veia artística, que ora estava adormecida, acordando como um vulcão que surge em erupção no ano de 1953, quando escreveu o seu primeiro livro, intitulado: O cavalo Ventania, escrevendo posteriormente entre outras obras: O pai traidorO cangaceiro Isaías e A carta de Satanás a Roberto Carlos, este último foi o seu maior êxito comercial.

Seus poemas versam, sobre moralidade, animais, casos extraordinários e aberrações.

 Lamentação de um cavalo indo para o matadouro

 Neste mundo escandaloso

Quanta coisa tem se dado!

Mas o povo não se lembra

De Deus, nosso pai amado

Vive desonestamente

Sem ver que futuramente

Vai tudo ser castigado.

 

Pega o homem os animais

Vende para o matadouro

Para xarque ou mortadela

Numa falta de decoro

Por isso é que brevemente

Satanás pega essa gente

E no inferno tira o couro.

 

O homem acaba tudo

Quando a natureza cria

Acaba o gado e as aves,

— Tem até quem coma gia—

De cobra até o leão

Da baleia ao camarão…

E a fome não sacia.

 

O povo vive a deriva

Sem religião, sem nada

Por isso é que um fazendeiro

Criatura desalmada

Agora em Minas Gerais

Vendeu vários animais para uma xarqueada.

 

Na carrada ia: jumento,

Cavalo, burro e cachorro

Um zurrava, outro latia

Como quem pede socorro

— ou talvez fosse dizendo:

Pelo jeito que estou vendo

Dessa vez sei que morro.

 

Porém entre os animais

Ia um cavalo alazão

Muito velho e muito magro

Que causava compaixão

Estava sendo vendido

Porém já tinha servido

Muitos anos ao patrão.

(p.3-4)

[…]

Neste poema, percebemos fortemente a interseção de uma das temáticas abordadas por Tavares, em seus escritos, a temática animal, que ele entrelaça em um paralelo, real e ficcional, demonstrando nuances da realidade cotidiana vivida pelos animais.

FONTES CONSULTADAS

CABRAL, G. G. Relatos orais, memória e narrativa: histórias do poeta José Costa Leite 1950-1960. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 18 set. 2014.

ENEIAS Tavares dos Santos. In: O Nordeste. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso: 18 nov. 2014.

HAURÉLIO, M. Dicionário básico de autores de cordel. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 19 out. 2014.

PERFIS Biográficos. Fundação Casa Rui Barbosa. [S.l.: s.n.: 20?]. Disponível em: >. Acesso em: 23 out. 2014.

 

Poeta Eneias Tavares dos Santos – Produção Literária

 

A briga de dois matutos por causa de um jumento

A morte, o enterro e o testamento de João Grilo

A mulher de quatro metros que andava de feira em feira

A recompensa do Diabo ou O castigo da falsidade

A verdadeira história de Chico Xavier

A vingança de uma fada e um anão misterioso

Carta do Satanás a Roberto Carlos

Lamentação de um cavalo indo para o matadouro

O amor de Maristela e a luta dum boiadeiro

O amor entre a verdade e o punhal

O cangaceiro Isaias

O homem que pagou a promessa enganando o santo

O prêmio da consciência

O rapaz que desejava ser cachorro

Teres e proezas de Eneias

Xilogravuras populares alagoanas

Fonte: AALC - ACADEMIA ALAGOANA DE lITERATURA DE CORDEL

Mais Populares

NOTA DE FALECIMENTO

29 de julho de 2019 |   289

CADEIRAS, MEMBROS EFETIVOS E PATRONOS

03 de maio de 2019 |   251

ANIVERSÁRIO DA AALC

05 de maio de 2019 |   225

ÚLTIMAS Notícias

EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DE ÁGUA BRANCA

27 de setembro de 2019 às 21:30:50

NOVO CORDEL DE MARCOS BRANDÃO

11 de setembro de 2019 às 22:32:49

NOVO CORDEL DE SILVANO GABRIEL

11 de setembro de 2019 às 14:40:12



Fale Conosco

Praça Dom Pedro II s/n Centro Maceió AL
| |
cordelalagoas@hotmail.com